06 de agosto de 2019
Foto: Victor Saveedra

O senador e ex-candidato à presidência do Chile, Alejandro Guillier manifestou sua preocupação em relação ao estado dos regimes democráticos na América Latina e defendeu Lula neste sábado (3 agosto) durante a 21ª Conferência Nacional dos Trabalhadores Bancários do Brasil.

“O Brasil está passando por um revés democrático e o Chile não pode ficar indiferente a essa situação. Como se sabe nas últimas semanas, o ex-presidente Lula não teve o devido processo legal e foi vítima de uma operação que utilizou notícias falsas. Embora a questão se limitasse à justiça, pareceu-me prudente, como senador de outro país, permanecer em silêncio. Mas depois de conhecidas publicações de imprensa, que revelaram as ações do juiz Moro e dos promotores, não há dúvida de que a justiça no Brasil tem sido usada para fins políticos. Isso prejudica a democracia”, declarou para os cerca de 500 delegados presentes na conferencia.

VazaJato
As relevações às quais Guillier se refere são as publicações do site The Intercept Brasil, que desde o início de junho de 2019 vêm fornecendo provas da trama entre o ex-juiz Sérgio Moro, o procurador Deltan Dallagnol e a força-tarefa da Operação Lava Jato para silenciar Lula e evitar que concorresse nas eleições presidenciais de 2018.

Enviado por fonte anônima, o material mostra como Sérgio Moro subverteu seu papel de juiz à época ao atuar como orientador da acusação em conjunto com Dallagnol, as motivações políticas e ideológicas da conduta dos procuradores da força-tarefa e, até, sugerem o auxílio do Supremo Tribunal Federal para a acusação, nas figuras dos ministros Luiz Fux, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin. As revelações mostram um quadro de total ausência de isenção política e técnica que os responsáveis pela Operação sempre se esforçaram em pintar.

Com informações da Carta Maior e do jornal La Tercera.