Read in English | Leer en español | Lire en français

O Comitê de Solidariedade Internacional em Defesa de Lula e da Democracia no Brasil se soma às inúmeras manifestações de surpresa e inconformidade com o anúncio da indicação do juiz, Sérgio Moro, para o cargo de ministro da justiça em contraste com as repetidas afirmações de que não tinha pretensões políticas.

O convite, segundo o recém eleito Vice – Presidente, General Mourão, teria sido feito ainda durante a campanha eleitoral, aumentando a suspeição sobre as condenações e prisões decididas pelo juiz Moro contra integrantes do Partido dos Trabalhadores, particularmente, o ex-Presidente, Luiz Inácio Lula da Silva.

O empenho do juiz Moro em condenar o ex-Presidente Lula, num processo considerado falho e sem provas por eminentes juristas brasileiros e internacionais, bem como sua insistência em mantê-lo preso, mesmo quando este teve sua liberdade concedida por um juiz de instância superior e sua inelegibilidade ainda não estava consumada, demonstra que na verdade estava eliminando o rival mais forte do candidato vencedor.

O convite e a sua aceitação deveriam provocar a anulação imediata da sentença proferida contra o ex-Presidente Lula. Deveriam também colocar os demais processos abertos pelo juiz Moro sob suspeita em respeito à ética e à legislação.

Comitê de Solidariedade Internacional em Defesa de Lula e da Democracia no Brasil
1º de novembro de 2018

Share This