01 de abril de 2019

A data em que a prisão política de Luiz Inácio Lula da Silva completa um ano será motivo de protestos no Brasil e no mundo. Atos em defesa da liberdade de Lula vão acontecer em todo Brasil e em mais de 15 países. O dia 7 de abril marca o início dos atos do movimento Lula Livre.

As manifestações dentro e fora do Brasil vão denunciar o caráter político da prisão do ex-presidente Lula. Quando foi preso, ele era o primeiro colocado nas pesquisas para as eleições de 2018. O juiz que comandou as investigações e condenou Lula foi Sergio Moro que, atualmente, é ministro de Jair Bolsonaro, o maior beneficiado pela prisão de Luiz Inácio Lula da Silva. Lula é vítima de um ataque jurídico e midiático, o chamado lawfare. A prática também será denunciada pelos manifestantes.

O processo difamatório e injusto, do qual Lula é vítima, provoca indignação no Brasil e no exterior. O caso está sendo analisado pelo Comitê de Direitos Humanos da ONU. Além disso, enquanto a grande mídia brasileira e parte do judiciário tentam destruir a imagem do ex-presidente, ele é indicado ao prêmio Nobel da Paz em função da transformação social que provocou no Brasil e pelo combate a fome aqui e em outros países, um dos seus maiores legados. Um abaixo assinado com centenas de milhares de assinaturas apoiam a indicação de Lula.

O significado do ex-presidente para o combate à onda ultranacionalista e conservadora fica claro pela quantidade de atos que vão ser realizados no Brasil e no mundo. A Campanha Lula Livre vai transmitir flashes das manifestações através do Youtube em um programa com 12 horas de duração (o link será divulgado posteriormente).

Partido dos Trabalhadores