11 de fevereiro de 2019

Read in English | Leer en español

O brasileiro José Graziano, Diretor-Geral das Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), foi homenageado pela União Africana hoje, no encerramento da Cúpula de Chefes de Estado e Governo africanos em Adis Abeba (Etiópia), com um reconhecimento pelo seu trabalho no combate à fome e desenvolvimento da agricultura no continente africano.

Graziano fez questão de compartilhar o prêmio recebido com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que Graziano chamou de “grande inspirador” dos programas de combate à fome da agência na África.

O governo Lula deu prioridade como nunca antes no Brasil o combate à fome e a à pobreza, reduzindo significativamente a fome e a miséria no Brasil com programas como o Bolsa Família e o Programa de Aquisição de Alimentos para a merenda familiar (PAA).

Graziano participou desses esforços e em um momento que o Brasil tinha grande prestígio no mundo pelos seus bem sucedidos programas sociais, foi eleito Diretor-Geral da FAO. Em 2015 ele foi reeleito para um segundo mandato.

Em 2013 o Instituto Lula organizou com a FAO e a União Africana um encontro para discutir a meta de erradicar a fome na África até 2025, com ajuda e inspiração dos programas sociais brasileiros. Chefes de estado, ONGs e especialistas da África e do mundo se reuniram para discutir o tema.

A perseguição política contra Lula e  Instituto Lula, perseguição que não encontrou provas de crimes e condenou Lula por um sítio e um apartamento que estão provados não serem dele, interrompeu a cooperação entre o Instituto e os governos africanos em torno de programas sociais contra a Fome.

Assista:

lula.com.br | Foto: Ricardo Stuckert