“No dia 28 de outubro, o Brasil decidirá entre dois modelos de país radicalmente opostos. Um é violento, injusto e excludente para as mulheres, os pobres e pessoas LGBTI, o outro deve por a democracia e a justiça social no centro de seu programa de governo“. Esta é avaliação do Podemos, partido espanhol e uma das maiores forças da esquerda europeia.

Em nota publicada nesta segunda-feira (8), no dia seguinte da disputa eleitoral que levou para o segundo turno Fernando Haddad em, a legenda traça um panorama da atual situação política do país e não poupa o candidato da extrema-direita , que representa o lado “violento e injusto” citado anteriormente.

“Bolsonaro representa, em cada uma de suas propostas, uma reação radical contra a democracia: coloca um programa ecônomico ultraliberal que aprofunda as reformas levadas a cabo por Temer e cujas consequências, seriam a volta da pobreza extrema de milhões de pessoas, quer militarizar e distribuir mais armas numa sociedade em que morrem 60 mil pessoas assassinadas por ano, afirma abertamente e com orgulho sua condição de machista, homofóbico e racista, defende a ditadura militar, incluindo a violação de direitos humanos, chegando a afirmar, literalmente, que o erro da ditadura foi torturar e não matar”, avalia.

O Podemos também vê na polarização da disputa eleitoral “consequência de todos os anos de perseguição e ataque sistemático a Lula” e lembra que a prisão política do ex-presidente arquitetado pelas elites econômicas com apoio de grandes grupos midiáticos para “justificar um programa de governo que é a “antessala do que promete Bolsonaro”.

Chegado  este ponto, prossegue a nota, qualquer pessoa que aspire defender a democracia deve apoiar Fernando Haddad no segundo turno. “Suas propostas se baseiam em reverter as reformas antissociais de temer, pacificar um país que está alcançando cotas de violência insuportáveis e recuperar  política do PT que tirou da pobreza mais de 30 milhões de pessoas”.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Share This