O ato extremo de optar pela greve de fome como forma de luta, adotado por um grupo de seis militantes a partir desta segunda-feira (31), exigindo a liberdade de Lula e o restabelecimento da justiça no país, foi objeto de repercussão em veículos de comunicação de todo o mundo.

Após protocolar documento no Superior Tribunal Federal, o grupo conversava com a imprensa nas portas do tribunal quando foi expulso do local por seguranças que agiram de maneira truculenta, fato que também ganhou destaque.

O início da mobilização por Lula Livre foi noticiado pela agência espanhola EFE, em um texto que destaca que “a organização Via Campesina anunciou a convocação de uma greve de fome em Brasília a favor da liberação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”.

A partir da nota da agência EFE, agência espanhola ABC também noticiou a greve, assim o jornal El Comercio, que publicou: “Os organizadores esperam que a greve termine em meados de agosto, período em que o plenário da Suprema Corte poderá julgar um recurso interposto pela defesa de Lula pedindo a libertação do ex-chefe de Estado da cela na sede da Suprema Corte. a Polícia Federal de Curitiba (sul) onde está cumprindo sua sentença”.

O jornal ainda destacou que “a greve quer aumentar a conscientização sobre o aumento da pobreza e o uso excessivo de pesticidas no campo”.

Na Argentina, o tema foi noticiado por veículos como o Página 12, Info Nodal, La Voz del Interior, La Voz De Misiones e Diario Junio. O jornal Página 12 destacou que “faltam pouco mais de dois meses até as eleições presidenciais, durante os quais os seguidores de Lula da Silva começarão uma greve para exigir sua libertação para que possam fazer campanha”.

No México, veículos como o jornal Excelsior, os sites 24 Horas, e Hispantv também publicaram sobre a greve de fome. “O protesto também faz parte das marchas por todo o país organizadas pelo PT no dia 15 de agosto, quando o partido vai registrar com um grande ato em Brasília a candidatura do ex-presidente antes das eleições de 7 de outubro”, escreveu o Excelsior.

Veículos peruanos, como o Crónica Viva, El Comércio e La República também noticiaram a greve de fome. Na Costa Rica a notícia foi divulgada pela versão local do El País.

Em Cuba, diversos veículos noticiaram o ato extremo, como o Prensa Latina, o Diário de Cuba, América Econômica, Cuba Debate e Radio Mayabeque. No Chile a pauta esteve no Clarín e na Prensa Austral. Na Venezuela a matéria recebeu destaque no Aporrea e Noticias Ahora.

A greve de fome ainda foi noticiada pelos jornais uruguaios Espectador e Caras y Caretas. Na Nicarágua noticiou o El Nuevo Diario e em Hondura, La Prensa.

Por redação da Agência PT de notícias.

Share This