21 de fevereiro de 2019

Read in English | Auf Deutsch lesen

1. “É inconcebível que Lula esteja na prisão”, declarou a deputada do Partido Social Democrata alemão (SPD), Yasmin Fahimi, em reunião com petistas nesta quinta-feira (21). A presidente do Grupo Parlamentar Alemanha-Brasil afirmou ainda que “o que acontece com Lula é um absurdo dentro do Estado de Direito”. A reunião teve a presença do líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), do vice-presidente nacional do partido, deputado Alexandre Padilha (SP), do governador do Piauí, Wellington Dias (PT) e do senador Jaques Wagner (PT-BA). Leia mais: https://pt.org.br/e-inconcebivel-que-lula-esteja-na-prisao-critica-deputada-alema/

2. O Comitê Lula Livre de Berlim entregou nesta quarta-feira (20), no Parlamento alemão, uma carta de Lula ao deputado Martin Schulz, membro do Partido Social-Democrata (SPD). No documento o ex-presidente denuncia o complô da direita para impedir sua candidatura a presidente em 2018. Em entrevista à Deutsche Welle (DW), o deputado afirmou que “há no Brasil uma campanha difamatória massiva contra a esquerda” e acrescentou ainda que levanta “sérias dúvidas” sobre a independência de Sérgio Moro. Leia mais: https://pt.org.br/lula-entrega-carta-ao-deputado-alemao-martin-schulz-e-pede-resistencia/

3. Em mais uma afronta do Judiciário para tentar barrar qualquer apoio à libertação de Lula, o desembargador Fernando Paulino da Silva Wolff Filho, do Tribunal de Justiça do Paraná, emitiu nesta quinta (21) decisão em que proíbe manifestações na Vigília Lula Livre, presente no entorno da Polícia Federal, em Curitiba. Wolff Filho estabeleceu ainda multa de R$ 500 mil diários por descumprimento da decisão e solicitou o auxílio de força policial para imediato cumprimento da ordem liminar. Leia mais: https://pt.org.br/em-decisao-absurda-desembargador-cerceia-liberdade-na-vigilia-lula-livre/

4. Para colocar em prática sugestão do próprio Lula, a Comissão Executiva Nacional do PT decidiu que Fernando Haddad, candidato do partido nas últimas eleições, seguirá em viagem por todos os cantos do País para apresentar à população os motivos pelos quais o ex-presidente foi tirado do jogo para atender aos interesses de uma elite que nunca suportou as políticas de inclusão durante os governos do PT. As viagens também terão a missão de mostrar aos brasileiros e brasileiras o quão nocivo tem sido o desgoverno Jair Bolsonaro. Leia mais: https://pt.org.br/haddad-percorrera-o-pais-para-provar-ao-povo-que-lula-e-inocente/

Boletim 367 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia
Direto de Curitiba – 21/2/2019 – 321 dias de resistência – 21h10