1. A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou com um pedido de habeas corpus nesta segunda-feira (5) no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspeição do juiz/político Sérgio Moro, a nulidade do processo e a sua libertação. O pedido baseia-se nos fatos novos que corroboram ainda mais a suspeição do juiz, agora assumido ministro do ultradireitista Jair Bolsonaro. Para os advogados, o juiz do caso agiu de forma política e atuou fora do âmbito do processo influenciando o período eleitoral já que, durante a campanha, manteve contato com a cúpula da campanha do então candidato Bolsonaro e, ao mesmo tempo, se manteve à frente do processo contra Lula, que até agosto liderava as pesquisas de intenção de voto. Leia mais: http://www. pt.org.br/defesa-lula-liberdade-stf/

2. A defesa da libertação de Lula e a participação na Vigília Lula Livre em Curitiba foram fundamentais para a militante Maria Fattore se recuperar da depressão em que caiu a partir do dia 7 de abril, quando o ex-presidente foi preso por decisão de Sérgio Moro tomada em processo manipulado e sem provas. A recuperação de Maria começou quando viajou para Brasília, saindo de Santo André, onde mora, a fim de acompanhar o registro da candidatura de Lula à Presidência da República, em agosto. Agora, a cura se completa com a visita à Vigília em Curitiba. “Me emocionei, chorei, cantei, foi bom demais”, diz. Leia mais: http://www.pt.org.br/vigilia-lula-livre-ajudou-militante-a-vencer-depressao/

3. Hoje, completaram-se 213 dias de prisão arbitrária do ex-presidente Lula. Como todos os dias, militantes da resistência democrática lhe deram bom dia, boa tarde e boa noite, com palavras de ordem em defesa de sua libertação e em defesa da democracia. O boa tarde a Lula desta segunda-feira foi puxado por militantes da juventude do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). “Sete de abril/Prenderam nosso Lula/Seremos resistência/Porque você é luta”, cantaram os jovens militantes.

4. Depois do boa tarde, os militantes participaram de uma roda de violão com o argentino Roberto Molina. “Lula representa para mim a transcendência das nacionalidades. Mais que um brasileiro, ele é um companheiro latino-americano”, disse o artista argentino. Molina compôs uma canção em homenagem a Lula com um refrão que diz: “De todas nossas gargantas/Queremos Lula livre”.

Boletim 259 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia
Direto de Curitiba – 5/11/2018 – 213º Dia de Resistência – 20h10

Share This