Read in English

1. A senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidenta nacional do PT, apresentou nesta semana um Projeto de Decreto Legislativo (PDS 129/18) com o intuito de barrar a intenção de Michel Temer (MDB) de legalizar a perseguição política no país. Na prática, a senadora quer sustar o Decreto 9.527/18, que cria uma força-tarefa de inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil. “Sob o pretexto de investigar crime organizado, essa força-tarefa de Temer prepara o terreno para a implementação das propostas mais truculentas e repressoras do presidente eleito, Jair Bolsonaro”, alertou Gleisi. Leia mais: http://www.pt.org.br/gleisi-propoe-sustar-decreto-de-temer-que-da-carta-branca-a-perseguicao-politica-no-brasil/

2. O juiz Sérgio Moro já comprovou a farsa jurídica montada contra o PT e Lula ao ser “premiado” com o Ministério da Justiça no governo Bolsonaro, mas cada detalhe na história reforça ainda mais a parcialidade do juiz através de suas próprias contradições. Segundo a Agência Lupa, Moro afirmou em pelo menos sete entrevistas que jamais entraria para a política. Mas, as convicções de Sérgio Moro eram só fachada para tirar Lula das eleições, promover Bolsonaro e ganhar, em troca, um ministério. Saiba mais: http://www.pt.org.br/moro-negou-em-sete-entrevistas-que-entraria-para-politica/

3. O Instituto Lula, em artigo publicado no seu site, manifestou preocupação com a notícia de que o Ministério da Justiça se transformará em um “superministério”, englobando Segurança Pública (Polícia Federal), o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União. “Ao concentrar a CGU, órgão de controle interno do governo federal que atuando na defesa do patrimônio e na transparência da gestão, o combate à corrupção fica ainda mais enfraquecido. Afinal como ela investigaria o próprio ministério?”. Leia mais http://www.institutolula.org/tirar-a-autonomia-da-cgu-e-enfraquecer-o-combate-a-corrupcao

4. Militantes e ativistas continuam firmes na luta e na resistência, em Curitiba, pela libertação do ex-presidente Lula, preso político desde o dia 7 de abril passado. Nesta sexta-feira (2), além do “bom dia” e do “boa tarde” ao ex-presidente, acontece a mística religiosa e a tradicional “Luzes para Lula”.

Boletim 256 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia
Direto de Curitiba – 2/11/2018 – 18h50

Share This