1. A Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores distribuiu hoje nota oficial em que afirma que finalmente caiu a máscara do juiz Sérgio Moro, que aceitou participar do Ministério do futuro governo de extrema direita do capitão da reserva Jair Bolsonaro. A nota aponta a suspeição de Moro em todos os processos relacionados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado sem provas e impedido de atuar nas eleições presidenciais deste ano em consequência da atuação do juiz que agora aderiu a um governo cuja vitória eleitoral ajudou a construir por sua partidarizada atuação judicial. Leia a nota: http://www. pt.org.br/nota-do-pt-cai-a-mascara-de-sergio-moro/

2. A defesa de Lula apresentou as alegações finais em que reforça que o ex-presidente é vítima de lawfare – que consiste no abuso e mau uso das leis e dos procedimentos jurídicos para fins de perseguição política — e que não cometeu os ilícitos que lhe foram atribuídos pelo Ministério Público Federal nos Ação Penal nº5063130-17.2016.4.04.7000, em trâmite perante a 13ª. Vara Federal Criminal de Curitiba. Leia mais: http://www.pt.org.br/defesa-pede-absolvicao-de-lula-e-reforca-o-lawfare/

3. Nesta quinta-feira o ex-presidente Lula recebeu as visitas da presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffman (PR), e do ex-ministro e ex-senador Aloizio Mercadante. Em entrevista concedida na Vigília Lula Livre, Gleisi disse que o ex-presidente está indignado com a indicação de Sérgio Moro para o Ministério da Justiça do governo Bolsonaro. “Moro foi premiado por quem ajudou a ganhar a eleição”, disse a presidenta do PT. Assista: http://www.pt.org.br/assista-gleisi-e-aloizio-mercadante-falam-apos-visita-a-lula/

4. Na manhã desta quinta-feira, na Vigília Lula Livre, ocorreu uma roda de conversa com o advogado Ludimar Rafanhim. Ele conversou com os militantes sobre o corte de direitos e os retrocessos previstos na reforma da Previdência defendida pelo governo ilegítimo Michel Temer e pelo presidente eleito de extrema direita Jair Bolsonaro.

5. O ato de boa tarde a Lula, no 209º dia de resistência democrática em Curitiba, foi puxado por Carlos Alberto Matos, jornalista e crítico de cinema do Rio de Janeiro. Ele disse ter participado da Vigília representando muitos amigos ligados ao cinema que estão engajados na luta em defesa da democracia e da libertação de Lula e contra a ameaça do fascismo que ronda o País.

6. À tarde, houve uma oficina de bordado com o coletivo de mulheres chamado Linhas de São Paulo. Militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) do Norte do Paraná fizeram panfletos bordados em apoio à libertação de Lula. Elas vão costurar os pedaços de tecido para compor um varal que vai decorar a Vigília Lula Livre.

Boletim 255 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia
Direto de Curitiba – 1º/11/2018 – 19h50

Share This